Editar Fotos ou Não? Eis a Questão.

 

Afinal, devo ou não editar fotos?

Trata-se de um dos debates mais recorrentes no universo da fotografia digital. A edição é ou não considerada parte do trabalho de um fotógrafo? Até que ponto é aceitável editar uma fotografia sem que ela se transforme numa montagem, colagem digital ou outra forma de arte? Com a popularização das câmeras digitais e de softwares como o Adobe Photoshop, essas questões devem ser discutidas.

edicao-de-fotos-luis-valadares-2

O fotógrafo Luis Valadares mostra o resultado da edição em suas imagens.

A questão é delicada. De um lado, temos os profissionais puristas, que argumentam que a edição acaba com a autenticidade da fotografia. Para estes, qualquer ajuste, ainda que mínimo, deve ser realizado antes do clique. No entanto, é sabido que mesmo a fotografia de filme tinha sua própria forma de pós-produção. Grandes fotógrafos como Ansel Adams admitiam abertamente editar fotos na câmara escura. Devemos ainda considerar que cada filme produzia um resultado diferente, o que poderia ser utilizado a favor do fotógrafo para produzir determinado efeito.

Sendo assim, considerando que a “edição” de imagens sempre existiu, em nível maior ou menor, a maior parte dos fotógrafos concorda que ajustes mínimos de cor e exposição na pós-produção são aceitáveis quando se trabalha com fotografia digital.

Ansel Adams em sua câmara escura.

Ansel Adams em sua câmara escura.

Mas qual é o ponto onde os ajustes deixam de ser apenas ajustes? Onde a fotografia se afasta demais de sua natureza inicial e se torna algo diferente? Na fotografia abaixo, por exemplo, além de haver uma alteração drástica nas cores, a faixa na frente da modelo foi removida na pós-produção.

editar fotos

Luis Valadares

E mesmo esse tipo de alteração se torna banal quando comparada a fotógrafos que utilizam a edição como parte essencial de seu trabalho. É o caso de artistas como Nate Hill, que distorce paisagens de maneira surreal para criar suas imagens características.

E será que é possível abusar da edição? O site Photoshop Disasters reúne várias evidências de que sim. No entanto, as imagens lá presentes são consideradas “erros” ou “desastres” apenas porque nelas a pós-produção se torna evidente. Seria aceitável colocar a cabeça de uma pessoa no corpo de outra se isso fosse bem feito e passasse despercebido? E mais: o resultado final ainda seria considerado uma fotografia?

Um exemplo de edição desastrosa

Um exemplo de edição desastrosa

Editar fotos continua sendo um tópico controverso e muitas discussões ainda surgirão sobre o tema. Como não há consenso sobre as respostas, cabe a cada fotógrafo decidir o nível de edição que considera aceitável em seu trabalho.

E você? Edita suas fotos? Se sim, qual software utiliza? Deixe sua opinião sobre o tema e vamos continuar o debate!

Written by

Designer e fotógrafo. Entusiasta de qualquer coisa que envolva criatividade e aventureiro nas horas vagas.

Últimos comentários
  • A maioria das fotos que vejo hoje em dia estão ficando tão iguais… tão amarelas… poucos conseguem deixar sua marca, algo que você olhe e diga, sei de quem é a foto…

  • Utilizo o Photoshop, mas pra dar maior ganho na nitidez, normalmente quando fotografo com meu iPod que não tira fotografias tão realistas, quando com a camera, se necessário gosto de ajeitar exposição e contraste. Eu acho sim importante a edição desde que não tire a essência da da imagem

  • Eu edito todas as fotos.
    esse papo de purista não se sustenta. Um sensor de silício não capta as cores como o olho humano capta. Logoe, ditar é preciso.
    por mais que se tente corrigir na câmera, o produto final sem lightroom é muito inferior.
    todos os fotógrafos editam. o resto é churumela.

Deixe um comentário